quinta-feira, 10 de março de 2011

Direito de errar...

O que há de mau no erro?
Por que as pessoas julgam e condenam tanto quem comete erros?
Eu sou humana. Diz o meu RG que já sou uma mulher. Adulta. Mas às vezes me acho uma criança, outras vezes uma adolescente boba.
Por que me sinto assim? Eu te digo: porque eu erro.
Sim, queridos... eu E-R-R-O.
Claro, claro, claro... há erros e erros. Mas não estou falando aqui de gente que mata criancinhas em série, nem nada do tipo (se bem que gente assim não é gente, e estamos aqui falando de gente, certo?).
Deixa eu te dizer uma coisa que sei que não é novidade, mas que é sempre bom frisar: gente ERRA. Pessoas erram. Seres-humanos erram.
Eu erro pra cacete. Já disse no primeiro post. Sou imperfeita.
Sou uma pessoa MUITO guiada pelas emoções, pelo coração. Apesar de pensar demais (sou uma pensadora profissional), a emoção acaba sempre vencendo a disputa dentro de mim.
E eu a sigo, sem dó!
Vou lá, falo o que eu to SENTINDO, me exponho, dou a cara a tapa, coloco a mão no fogo... e o corpo inteiro se for preciso.
Eu preciso disso, preciso de emoção, preciso que me arranque o chão, preciso que me cause devaneio, preciso sentir meu coração bater acelerado, preciso sentir o sangue correndo nas veias...
Então deixo a emoção agir. E talvez por não pensar mais com a "cuca" antes de deixar que a dita emotion tome conta de mim, o que acontece? Eu erro.
E muitas vezes, choro. Como se não houvesse amanhã.
E praguejo. E coloco a culpa na astrologia (pisciana romântica-sonhadora-emotiva feelings), em Deus, em mim, e até nos outros. Digo que nunca mais agirei desse modo, que serei a mais fria e cruel de todas as criaturas.
HAHAHAHA, que tonta.
A emoção está em mim, quem quiser que me aceite assim (rima pobre).
Mas, sim... eu aprendo com meus erros. Eu cresço com eles. Eles me fazem forte. Clichê, eu sei. Mas é verdade. Só não aprende com o erro quem é uma pedra (but I'm not made of stone)...
Erre. Não tenho medo de errar. Viva, se emocione, chore, transpire, queime por dentro. É delicioso. Você se lembrará disso aos 90 anos. E, se não chegar até lá... ao menos você viveu! E como viveu!

Abaixo a música LINDA, na voz incrível da Joss Stone, que me fez chorar com a letra e me inspirou a escrever esse texto confuso:

Joss Stone- Right To Be Wrong






Beijo beijo beijo,

Mi

Nenhum comentário: