quarta-feira, 6 de abril de 2011

Helena



Eu preciso falar dela. E não consigo me referir a ela sem usar um substantivo composto. Nem apenas amiga, nem apenas irmã. É assim: "amiga-irmã". A Helena entrou na minha vida há uns 13 anos (amiga, me corrige se eu estiver errada, hahaha). Eu tinha uns 12 e ela uns 11 anos e foi através de uma amiga em comum, a Pati, uma outra amiga que eu amo muito. Eu tenho poucas, mas boas amizades. Mas com a Helena é diferente, ela é minha irmã. A irmã que a vida não me deu, mas o meu coração escolheu.
A Helena sempre teve um temperamento muito forte, desde criança. Ela é extremamente verdadeira e impulsiva. Não importa o que ela esteja pensando, ela vai falar. E vai falar do jeito que sair, sem floreios. Por isso têm pessoas que, por não conhecê-la muito bem, não simpatizam com ela. Mas ela é assim, sincera demais, de opiniões fortes, com um coração gigante e desde cedo muito madura. 
Apesar dela ser muito geniosa, em todos esses anos nós brigamos duas vezes apenas. A última foi no ano passado e foi bem feia, com direito a DR e muitas lágrimas. Mas, como irmãs inseparáveis que somos, conversamos muito e nos entendemos.
Eu sempre pude contar com a Helena, em todos os momentos da minha vida. Era a primeira pessoa pra quem eu ligava pra chorar minhas dores de amor adolescente. E ela, um ano mais nova, parecia minha mãe, sempre com a cabeça no lugar, sempre com o conselho certo na hora certa. E sempre com um delicioso "eu te amo" no final. E, brava que só, sempre me deu muita bronca. Sempre falou na minha cara o que eu PRECISAVA saber, sempre me colocou no prumo quando precisou. Sem papas na língua, e ainda é assim. Quando o Douglas morreu, claro que eu liguei pra ela, mas já tinham contado e, apesar dela morar um pouco longe, ela já estava quase na porta da minha casa. Ela viu a minha filha nascer, e nos primeiros 10 minutos de vida da Maria ela já tinha mais de 100 fotos. Não bastasse isso, ela ficou comigo em uma cadeira mega desconfortável de hospital ouvindo eu reclamar das dores da cesárea. Nós já passamos muitas coisas juntas, muito choro, muita risada (e quanta risada!). Já falamos muita besteira, mas já tivemos muito papo cabeça. Em muitos desses momentos, a Pati estava junto, mas falo dela em outro post. 
A Helena passa uma imagem de ser uma pessoa muito forte, mas eu sei que de vez em quando ela precisa muito de colo, mas ela não demonstra. 
Às vezes, por causa do dia-a-dia, nós passamos meses sem nos ver, mas estamos sempre ligando, mandando e-mail, conversando uma com a outra. E eu acho incrível como ela me conhece bem. Há um tempo atrás, depois de um tempão sem nos ver, ela me olha e diz: "Mi, estás apaixonada?" hahahaahah eu tentei, mas não consegui negar, ela me conhece.
Em fevereiro, no dia do aniversário dela, eu fui abraçá-la e quem ganhou o presente fui eu: "Mi, vais ser titia!!" Preciso dizer que quase infartei?? Hoje eu sou a titia mais feliz do mundo. E eu já amo MUITO essa criança, do mesmo modo que eu amo a mãe dela.
Ontem a minha amiga-irmã se casou. E estava LINDA, perfeita! E eu me emocionei demais com a sua emoção, com a emoção do Marcelo (muito bonitinho ver ele chorando feito bebê), com a emoção dos seus pais. Sinto uma enorme felicidade por essa nova etapa da sua vida, agora casada e com um anjinho a caminho. E eu disse pro Marcelo no fim da festa: "Cuida muito bem da minha amiga, hein?" Rá, ele que não cuide. hahaaha Tenho certeza que ele vai cuidar. Ele não é bobo de decepcionar uma mulher incrível como ela. Minha linda amiga Designer de Interiores (meu orgulho).
Bom, amiga, já te disse uma vez, e quero dizer novamente: espero que fiquemos velhinhas, bem velhinhas, rindo juntas e relembrando nossas infinitas histórias (entre um Captopril e outro, hahaha). Que meu sobrinho (ou sobrinha) venha com infinita saúde. Eu já o amo tanto quanto você ama os meus filhos.


Helena, eu AMO você!


Um comentário:

Helena Borges disse...

Nega fazem 15 anos que nos conhecemos eu tinha 10 aninhos ;) vc estava na 5ª Serie, vc bem mais tímida nem falava, mais te colocaram no meu caminho e com certeza eu bem falante te ajudei a superar essa fase kkkkkk agora já uma mulher, mas para mim continuas sendo aquela menina tímida e frágil, que eu sempre cuidei mesmo sendo um pouco mais nova, talvez me ache tua irmã mais velha, por isso tantos conselhos, tantos colinhos, e fique gravado que estaremos com ruguinhas e rindo juntas e dando colinho uma para outra porque Deus quiz que eu fosse mais que sua amiga sua irmã. Te amo Miraaaa me desculpa por qualquer coisa foi tudo para te proteger bjoooo e abraço apertadoooo te amamos (H & M & B)