quarta-feira, 13 de abril de 2011

Viva o amor próprio!



Hoje eu quero falar da pessoa mais importante da minha vida: eu mesma. Eu tenho aprendido que, por mais que eu ame, e muito, as pessoas ao meu redor, a única responsável pela minha felicidade sempre será a minha pessoa. Eu nasci e vou morrer na minha companhia. Essa é a única certeza que eu tenho e o resto é lucro. A vida até agora me fez ver que eu preciso urgentemente me amar, me respeitar, me venerar, me idolatrar. Espero nunca deixar de ter amor -e transbordar amor- pelas pessoas, pelos meus filhos, pela minha família, pelos meus amigos, pela minha profissão. Essa sou eu... preciso de sentimentos assim como meus pulmões precisam de ar. Mas que eu nunca, jamais, em hipótese alguma, deixe de lado o meu amor próprio. Que eu nunca passe por cima dos meus princípios, dos meus valores, das minhas vontades, pra satisfazer uma outra pessoa. Que eu me valorize, que eu satisfaça as minhas vontades, que eu não me sabote, que eu não me sacaneie.
Que eu cuide de mim assim como cuido das outras pessoas que amo. Eu sou mãe e sou imensamente feliz e realizada sendo mãe. Só quem tem filhos sabe o que é esse amor. E me dedico aos meus filhos, cuido, educo, dou muita bronca quando necessário. Mas que eu não ME esqueça. Que eu também me ame, me cuide, me eduque e, sim... que eu me dê broncas quando eu merecer (e como tenho merecido!). Que eu cuide sempre de mim, da minha saúde, da minha aparência, que eu me presenteie de vez em quando... que eu me faça feliz, que eu me ponha no colo!
Às vezes passamos tanto tempo nos dedicando a alguém, fazendo coisas que não nos agradam, sendo infelizes, nos auto-sabotando... eu mesma me pego fazendo isso de vez em quando. Mas aí eu paro e penso: Pera lá, cadê eu? Cadê a minha vontade, cadê o que me faz feliz? Onde foi que eu me perdi? E lá vou eu me procurar... É, pode até acontecer... mas, por favor, não vamos nos perder por muito tempo. Vai que a gente não se acha mais?

Nessa vida, meu amigo, é você quem faz acontecer o que quer que você queira. Acorda!! Ninguém vai te fazer feliz se VOCÊ não se fizer feliz antes. Ninguém ama quem não se ama. Ninguém ama "coitadinhos". E outra, esse papinho de "ah, fulano me ofendeu, fulano me humilhou, fulano me deixou triste". Desculpa, mas você está errado! Ninguém te humilha e ninguém te ofende a não ser que você deixe. Ofensas e humilhações são como presente (de grego, verdade): você aceita se quiser. 
Se ame, se goste, se olhe no espelho: gosta do que vê? Se gosta, ótimo! Se não gosta, trate de mudar, só depende de você! Pare um pouco de vez em quando e reflita: eu sou feliz? O que me incomoda? O que me falta pra ser feliz? Descubra isso, vá lá e faça! Olha, não é fácil não... eu nem sempre consigo... mas é um exercício diário... e eu chego lá. E viva o amor próprio!

Mi

2 comentários:

Michele P. disse...

Gostei de ver, Mi!

Estou contigo e não abro.
Se não amarmos a nós mesmas, quem é que vai fazer isso?

Adorei o post!

Um abraço

Anônimo disse...

Adorei o poste, tudo que eu precisa ler nessa momento :)