quinta-feira, 5 de maio de 2011

Confusamente confusa



Escrevo, apago. Escrevo novamente. Apago. Penso em desistir. Volto ao que tenho que fazer. Mas o que quero escrever não me sai da cabeça. Volto a escrever. Não adianta. Escrevo muitas coisas. Coisas lindas. Mas não expressam o que quero dizer. Nem chegam aos pés do que carrego aqui dentro. Definitivamente não sou um ser racional. Não assim nesse estado em que me encontro. Tomada por sentimentos. Sim, sentimentos. Muitos, confusos e misturados. Todos fervilhando em mim. Palavras, eu curto vocês. Amo vocês, queridas palavras! Mas vocês não têm a capacidade pra expressar o que sinto nesse momento. Já tentei usá-las muitas vezes. Vocês já me foram muito úteis. Já escrevi textos aqui que caíram como uma luva pro que sentia. Só que hoje vocês estão me faltando. Talvez porque eu mesma não consiga organizar meus sentimentos. Há de se organizar os sentimentos pra que haja organização dos pensamentos, creio eu. Pois hoje me dou o direito de mantê-los desorganizados. Hoje me dou o direito de apenas sentir. SENTIR, SENTIR, SENTIR. Intensamente, confusamente, absurdamente, desorganizadamente. Hoje me dou o direito de chorar, de gritar, de explodir. Não quero mais entender isso tudo. Não hoje. Cada dia me convenço mais de que existem sentimentos que não devem ser entendidos, não devem ser explicados, não devem ser descritos. Alguns devem ser apenas sentidos, em toda a sua plenitude. E no dia de hoje, meus sentimentos indecifráveis estão gritando aqui dentro. Não quero e não vou calar. Que gritem.
 

Um comentário:

Michele P. disse...

Incrível como, sem dizer, disse tudo! É assim mesmo o coração: um comboio de corda que gira, gira, confundindo a razão!
Adorei a confusão! :)

Beijos Mi!