quinta-feira, 21 de julho de 2011

Caminhos- Parte I


Anita estava exausta. Os dois últimos dias haviam sido os mais loucos e estranhos da sua vida. Anita sempre teve muita responsabilidade, apesar de sua essência ser a de uma “doida varrida”, como dizia sua mãe. Mãe, você sempre teve razão! Ela pensou, de dentro do avião, ao voltar para casa. Todos os músculos do seu corpo doíam, sua cabeça latejava e ela estava começando a sentir-se enjoada. Passada a excitação, as conseqüências daqueles dois dias estavam se tornando mais evidentes. Apesar dos desconfortos físicos, ela estava eufórica, feliz, radiante. Não conseguia deixar de pensar em tudo o que tinha acontecido. Sempre que pensava, um frio gostoso lhe percorria a espinha, seu estômago contraía, os seios ficavam rijos, as partes íntimas umedeciam e as faces ficavam rubras. Ai, que calor aqui dentro! Anita fechou os olhos e encostou a cabeça no apoio. Seu corpo entregou-se ao descanso e sua mente entregou-se às lembranças. Lembranças surreais. Tudo veio à tona: não apenas os dois últimos dias, mas tudo o que tinha contribuído para que a situação tivesse chegado àquele desfecho imprevisível.
Continua em uma próxima postagem...

2 comentários:

Eraldo Paulino disse...

Hummm que interessante.

Pelo visto, devem ter sido dois dias muuuuuito legais.

Esperando a conclusão.

Bjs!

Michele P. disse...

Belo conto...
Dois dias são suficientes para fornecer sorrisos para uma vida inteira, às vezes.
Bjs