terça-feira, 23 de agosto de 2011

Ela e o todo


Seus pés tocam e sentem os grãos de areia. Como se deles, fossem parte. E ela caminha, envolta em tudo. Não se sente ela própria. Sente-se parte do cenário. Parte de um todo. Ela não é apenas ela. Ela é areia, vento, mar, maresia, feixes de sol, céu, pássaros e tudo que ali habita. Ela é contexto. Caminha e seus pés são só sentidos. Sentem grão por grão da areia ali contida. Pára. Senta. Sente. O mar. O som das ondas. O silvo eólico. A vida, nos cinco sentidos. A vida, nos seis sentidos. Deita. As costas sentem os grãos gelados e úmidos. O vento áspero corta-lhe tenuamente a pele macia; O arrepio é conduzido a cada célula. Deixa-se levar. Ela não é ela. É continuação do que está em volta. É fração, é contexto... É o todo. Não saberia dizer onde começa, onde termina. Expira e seu hálito quente contrasta com o vento gelado e transforma-se no que ela já se tornou: parte dali. Ouve o som das ondas, do vento, dos pássaros, do ritmo cardíaco, dos pulmões respirando. Ouve o som dela mesma. Tudo é ela... E ela já não é mais apenas ela. Envolta em si própria, ela implora para que o caos se organize. Implora para desintegrar-se do todo. Mas desintegrar-se já não é possível. Tudo é ela... E ela é tudo!

8 comentários:

Luna Sanchez disse...

"Ela é contexto."

Alguns lugares, e a beira do mar é um deles, têm o poder de nos aconchegar, de nos compreender no sentido mais amplo do termo. Deve ser por isso que gostamos de estar na praia quando nos sentimos tristes.

Muito bonito, flor.

Um beijo.

Mirella de Oliveira disse...

Sim, Luna... E alguns lugares nos entendem tanto... Mas tanto... Que acabamos por nos perder. Dentro deles. E não se sabe mais quem é quem, não é? hahahaha Devaneios, devaneios...
Que bom que gostou! Beijooo, moça talentosa! ;)

Michele P. disse...

Totalmente sensorial... terminei a leitura com a sensação de estar na beira da praia, esfreguendo os pés na areia, sentindo a brisa, ouvindo as ondas... Lindo, lindo...

Michele P. disse...

Corrigindo: "esfregando"

Anônimo disse...

Mirella é muito bom ler seu blog...acompanho faz um tempo e nunca me manifestei...

Me faz bem vir aqui pois suas palavras me acalmam ao mesmo tempo que me instigam... Me pergunto o porque de você escrever sobre o assunto, o porque da imagem, o porque das palavras. Ao mesmo tempo me acalmam pq me fazem refletir o sentido da vida.

Obrigado e continue nesse caminho!

Mirella de Oliveira disse...

Mi, que bom que o texto conseguiu te causar essa sensação. Era um dos objetivos, mesmo! Obrigada, amiga! ;)



Anônimo... Identifique-se, irei adorar! Mesmo que com um nome fictício, pra eu poder me dirigir a você! Nossa, eu sempre tenho a impressão de que um ou dois me lêem por aqui... Mas fico feliz, viu? MUITO feliz de poder causar boas sensações a quem visita esse cantinho particular!
Sinta-se à vontade... E comenta mais, que eu gosto! hahaha :D

Mirella de Oliveira disse...

Meu amigo Eraldo Paulino não está conseguindo fazer login, e pediu gentilmente que eu colasse aqui o comentário dele:

As várias dimensões de um ser multidimensional...

As dores de quem prefere arriscar tocar a própria existência...

Lindo.

Bjs!



Eraldo, muito obrigada! E lindo é seu comentário! Já estava com saudades! Beijão :)

Attfield disse...

Muito bacana .. realista e nostálgico na mesma hora .. muito bacana !

bjs