sábado, 17 de setembro de 2011

A dor... E o que realmente importa.

A vida não para pra dor da gente.
Enquanto as lágrimas rolam, os segundos continuam correndo e o tique-taque do relógio continua lá, incessante e irritante. Mas o nosso caminho, somos nós quem conduzimos... Não se deve parar. Parar é fatal. Tudo o que me atinge chegou a esse ponto com a minha permissão. Se sinto dor ou alegria não importa. Se é o que eu sinto é porque é isso que me cabe. Agora, colocarei a dor no bolso e continuarei minha jornada. Quem me dá a mão? É o que realmente importa.





(Preciso de um tempo. Preciso de mim.)


4 comentários:

Luna Sanchez disse...

Ô, Mi, as coisas estão fora do eixo por aí? Tem algo que uma amiga "de longe" possa fazer pra ajudar?

Um beijo.

Michele P. disse...

Mi

A dor é uma impostora. Não permita que ela chegue, descarregue as malas e se acomode aí.


Um abraço

Eraldo Paulino disse...

Bom, pode me chamar de aproveitador, mas é pra isso que o colo foi feito, não?

Bjs no Mi!

Mirella de Oliveira disse...

Luna,

Tua preocupação é coisa linda de se ver. Já te mandei e-mail. Obrigada, flor! ;)

Mi,

Ah, Mi... Quem dera eu tivesse forças pra não deixar ela se instalar, não é? Mas, deixe... Às vezes a visita dela é necessária. Fortalece e põe no eixo. Outro abraço, Mizoca!

Eraldo,

Gostei da ideia do colo! Ando precisando taaanto, meu amigo! ;) Beijão