terça-feira, 4 de outubro de 2011

Pretinha


A Preta chegou aqui em casa de repente. A Bela tinha morrido há cerca de um mês, já bem velhinha e sofrida. E a Preta parecia ter vindo substituí-la. Eu não estava, mas a minha mãe e meus filhos (eufóricos) disseram que ela simplesmente surgiu aqui, em frente a casa. Bem cuidada, sim. Mas sem dono “aparente” e doidinha pra ficar. Ficou. Serelepe e carinhosa. Uma vira-latas muito doce e esperta. Colocaram-na o nome de Preta (minha mãe ou meus filhos, já não me lembro bem). Pretinha se adaptou bem aqui. Parecia que tinha nascido nessa casa. Saía pra fazer seus passeios, ia longe longe longe, mas sempre voltava. Fazia a maior festa quando via o carro surgindo lá ao longe, cruzando a esquina. E quando íamos em direção ao carro, para sair? Ela já ficava de prontidão, olhando pro portão, já sabendo que sairíamos e ela poderia, enfim, dar suas voltinhas. Ninguém sabia a idade nem a origem da Pretinha. Só sabíamos que ela era uma parceira e tanto. Nada paga a festa que ela fazia quando nos via chegar. Nada paga ver aquele rabinho abanando quando recebia carinho ou quando falávamos manso com ela. Ah, Pretinha... Gulosa como todo cachorro. Fazia cara de morta-de-fome toda vez que via alguém comendo. Adorava caçar pássaros. Matou uns tantos desavisados que pousaram no quintal. Pretinha era jovem e muito disposta. Era uma ótima companhia de caminhadas, embora ela atravessasse na frente dos carros e eu até virasse o rosto, jurando que não ia escapar (doidinha, doidinha). E escapava. A Pretinha adorava puxar o short do João para brincar. Corriam pelo quintal, ele rindo e ela abanando o rabo... Era a maior bagunça. Ninguém sabe como veio e ninguém sabe porquê se foi. Do mesmo modo súbito que chegou em nossas vidas, partiu. Essa manhã. Ainda consegui ver seus últimos suspiros. Sua respiração ofegante e seu olhar distante. Eu não sei o que aconteceu. Só sei que vai deixar muita, muita saudade.



6 comentários:

Michele P. disse...

Que linda crônica e que triste notícia! Sinto muito Mi!

Um abraço

Maela disse...

Sinto muito Mi, é muito chato mesmo

Vanessa disse...

Ai Mirella, vc me fez lembrar da minha Pretinha. Viveu com a gente por quase 18 anos. Veio pequenininha, cabia na mão. Tomava mamadeira e dormia comigo ou com meu irmão. Mta saudade da minha viralatinha linda.

Sinto pela sua perda.

Bjo

Luna Sanchez disse...

Lamento, flor, pela perda.

=\

Guilherme Schnekenberg disse...

Eu sinto muito pela sua perda, Mi.

Mas é só lembrar dos momentos bons e engraçados, como quando os cães puxam as crianças pela casa pra brincar. São as coisas que valem a pena de lembrar, e que serão levadas por eles se forem para algum lugar.

Mirella de Oliveira disse...

Queridos, MUITO OBRIGADA pelo carinho de vocês. Foi bem triste, mesmo. Ainda penso muito na Pretinha. Meus filhos sentem a falta dela. Beijão pra todos.