quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Recuo



Sinto o início de uma nova era. Pressinto o surgimento de novos ares, novas pessoas, novos cheiros, novos lugares, novas comidas, novos amores, novas delícias. Vejo a manutenção apenas da minha essência. E vejo mudança de hábitos. Vejo flores coloridas, vejo neve clara. Vejo vida de verdade. Vejo cultura, informação, tesão. Vejo amor, carinho e cuidado. Eu sinto, eu percebo, eu calculo e não tem como errar. É só observar com atenção. Em silêncio. Você percebe o recuo. Não  confunda, não é regressão. É impulso. Como a rasante da maré anunciando o tsunami. Como um atleta que se prepara para saltar. Eu sinto o cheiro. Cheira a terra molhada, cheira a início de chuva, cheira a maresia, cheira a café... Eu sinto o silêncio no ar. Silêncio que fala. O vento grita e anuncia a mudança. É uma explosão iminente. Vai... vai acontecer. E eu choro. Choro um choro compulsivo, triste e saudosista. Por um passado que se foi. Por toda uma bagagem velha, gasta e empoeirada. Por todo um apego idiota que sinto pelo antigo. Choro para lavar a sujeira do que já era pra ter ido. Choro porque percebo que findou. Choro até que as lágrimas terminem a limpeza. E reajo. Reajo em silêncio. Recuo, recuo muito. Sinta medo...  o impulso será maior do que imagina.







2 comentários:

Mi disse...

Que lindo, Mi! Que gostoso ler isso aqui!
Que venha 2012, que venham novos desafios, novos amigos, novos dias.
Que tudo aquilo que vc deseja com todo o seu coração, se realize! Eu torço por você e estou aqui para o que precisar, ok?

Beijossss

Vanessa disse...

Que assim seja!

Bjos