sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Sintoma como diagnóstico. Até quando?



Caro Dr. ortopedista,

Gostaria de pedir humildemente a você um pouco mais de atenção ao preenchimento das requisições para o atendimento de fisioterapia. Em especial ao item mais importante para nós, os fisioterapeutas: o diagnóstico médico.
Todos sabemos que para um tratamento fisioterapêutico adequado é necessário saber exatamente qual o diagnóstico médico do paciente. Eu sei que você tem ciência do que direi a seguir, mas sempre é bom ressaltar: sintoma NÃO é diagnóstico. Lombalgias, ciatalgias, cervicobraquialgias, edema de membros inferiores, fraqueza muscular de membros superiores... Tudo isso são sintomas. Algo está causando esses sintomas. O que está causando esses sintomas, doutor? Uma lombalgia pode ser desde uma desordem musculoesquelética até um tumor. E os tratamentos, dependo do diagnóstico, são totalmente opostos. Eu não posso tratar dor, edema, fraqueza e limitação funcional se eu não sei a causa dos mesmos. Peço, por favor, mais atenção a isso. Não aprendi na faculdade a utilizar a bola de cristal.

Atenciosamente (e pacientemente),


Mirella R. de Oliveira


23 comentários:

Maela disse...

uahuahuahauhuahua

Deve ser foda

Michele P. disse...

Ossos do ofício.
Todo mundo tem.

rs


Beijos, Mi

Anônimo disse...

Queridinha, você não tem competência nenhuma para dar "toques" em nenhum médico! É de rir mesmo! kkkkk
Carolina

Mirella de Oliveira disse...

Carolina,

HAHAHAHAHAHAHAAHAHAHAH

Essa foi muito boa, mesmo!!

Beijos, "queridona"!

Anônimo disse...

Mi,

Seu comentário não ofende ninguém e apenas faz uma importante reivindicação.
Parabéns pela iniciativa!!

Bjs,
Duda

Mirella de Oliveira disse...

Duda,

Preciso disso pra poder trabalhar. Sinceramente, to de saco cheio de tanta falta de comprometimento da ESMAGADORA maioria de profissionais dessa área. É deprimente. :S

Beijo

Mirella de Oliveira disse...

Maela,

Vc nem imagina como! :(

Mirella de Oliveira disse...

Mi,

Que ofício? Sem o diagnóstico médico eu nem posso INICIÁ-LO! hahahaha

Beijo, Mi

Luna Sanchez disse...

Está dito, Mi, acho certíssimo!

;)

Beijocas, flor!

Anônimo disse...

"Queridinha", se você tivesse competência para ser médica poderia fazer diferente da ESMAGADORA maioria de profissionais dessa área!Masssss como este não é o SEU caso, o jeito é ficar reclamando né bebê! hahahahahahahahaha
Carolina

Mirella de Oliveira disse...

Lu,

:D

Beijo, beijo, beijo

Mirella de Oliveira disse...

Carolina,
Tem razão. Puro recalque meu. Eu sempre quis ser médica, mas eu não consegui, sabe... A faculdade de fisioterapia é fácil, levei nas coxas... Nem é disputada na Udesc, imagina! Ai, sempre fui muito burrinha, menina. Passe em primeiro lugar na Udesc, mas foi pura sorte. Incompetente, mesmo... Disse tudo! Vejo que você é muitíssimo bem informada. Realmente o médico é superior ao fisioterapeuta. Ambos são de nível superior, mas o fisio se submete ao médico, obviamente. Parabéns pela sua cultura, "bebê"! Admirável.

Michele P. disse...

Исследования показывают: умный человек не занимает ваше время критиковать других.
Бьюсь об заклад, что перевод этот комментарий был первое, что Анонимные сделал.


risos
Beijão Mi

Anônimo disse...

(Mirella, com licença.)

Doutora Carolina:

Até onde sei, médicos são seres superiores, demasiado ocupados e que não tem tempo para fazer atividades inferiores, tal como comentar em blogs de fisioterapeutas.
Sendo assim, eu não entendo como um ser tão superior como você perde seu precioso tempo comentando neste blog?

Att,
Um reles ser inferior

Anônimo disse...

Aonde que a Carolina falou que ela é médica?
Huuummm será que além de recalcadas com a classe médica vocês também tem problema de visão ou de entendimento? hehehehe
Mas é compreensível pois para se formar médico o curso dura em média 5/6 anos e mais os anos de residência, enquanto que fisioterapia qualquer um aí faz e tira em 4 anos + ou -.
Tchau, bebê!

Anônimo disse...

Autora do último post:

O reles ser inferior, que assinou um dos últimos posts, não afirmou qual sua formação profissional. Pode ser apenas um leitor do blog da Mirella que pensa ser totalmente desnecessários os posts de Carolina por aqui.
Da mesma forma, se Carolina não fosse médica por que defenderia com tanta vêemencia a classe médica? Faz pensar que...
Há uma infinidade de faculdade particular de medicina espalhada pelo Brasil. Pagou, entrou, cursou, conseguiu o diploma.

Att,
Reles ser inferior

Anônimo disse...

Ao "anônimo "Reles ser inferior":
Existem várias faculdades pelo Brasil, sim, públicas e particulares. Algumas realmente são péssimas, concordo, mas há também excelentes faculdades também e que formam médicos de alto nível profissional.isto é um fato.A velha desculpa do "pagou,entrou,cursou,se diplomou" é só para aqueles que não tem competência e ou então não tem grana para pagar, isto na pior das hipóteses.Ou seja,em todas as áreas existem bons e ruins profissionais. O que não se pode negar é a superioridade da medicina perante a fisioterapia. Até porque, se existem faculdades do tipo que você descreveu para os cursos de medicina,TAMBÉM existem para os cursos de fisioterapeuta.
Um fisioterapeuta nunca poderá fazer o mesmo que um médico, já um médico pode fazer tudo o que este profissional faz. Fisioterapeuta é um massagista mais evoluído, simplificando os fatos.
Não sei se Carolina é ou não médica,ou qual seja sua relação com a medicina.No meu caso defendo a classe médica por muitos motivos,alguns deles são porque conheço ótimos profissionais na área,que se dedicam muito ao que fazem, meu marido é médico, e por saber da grande importância que a profissão exerce na vida de todas as pessoas, isto também é fato.
Mas, a discussão acaba por aqui. Até porque não é necessário que se repita o que todos já sabem:um médico possui muito mais capacidade e conhecimento que um fisioterapeuta. Você não procura primeiro um fisioterapeuta antes de passar por um diagnóstico médico, já o contrário é recorrente. Cada macaco no seu galho, e o galho mais alto é da medicina, bebê! kkk
Tchau!

Anônimo disse...

À autora do último post:

Há todo tipo de faculdade pelo Brasil. O MEC tem procurado prezar pela qualidade do ensino superior ao avaliar os cursos com certa regularidade. Nesse ano vários cursos, incluindo da área da saúde, tiveram vagas cortadas por terem apresentado notas muito ruins no ENADE. Ao sujeito que quer cursar uma IES cabe escolher uma universidade com bom conceito, independente do curso.
Pagar a mensalidade de faculdade particular demanda dinheiro e não competência. Concordo que há excelentes faculdades particulares espalhadas pelo país, mas, ainda hoje, as universidades públicas ainda vigoram entre as melhores. Cursei universidade pública e, no meu curso, a universidade pública é extremamente superior à 'faculdade paga'...
Em todos os lugares existe todo tipo de gente. Os que prezam pela competência, dedicação pela sua profissão e que, além disso, ainda respeitam e vêem as outras profissões como parceiras no atendimento ao ser humano. E há, também, os que vivem pensando na superioridade de uma ou outra, algo que soa muito mais orgulho e vaidade que qualquer outra coisa.

Anônimo disse...

Por que a medicina é superior? Isso é cultural, senso comum, não um fato. Conheço muitos médicos terrivelmente competentes que respeitam a fisioterapia e trabalham em conjunto com essa. Da mesma forma, conheço muitos fisioterapeutas extremamente competentes e que de 'massagistas melhorados' tem nada. O médico é o responsável pelo diagnóstico clínico e, o fisioterapeuta, é quem faz o diagnóstico cinésio-funcional. Cada um tem suas competências, por isso os cursos tem nomes diferentes, estruturas curriculares diferentes, disciplinas diferentes. São diferentes, não inferior ou superior um ao outro. O médico não pode fazer tudo que um fisioterapeuta faz, pois irá preso. É necessário cursar a graduação em fisioterapia, ter o diploma de graduação em fisioterapia e o registro no conselho para exercer a profissão de fisioterapeuta. Assim como funciona com a medicina, a enfermagem, a nutrição, ... Está cada vez mais em evidência o trabalho dos profissionais da saúde enquanto equipe multiprofissional pois, cada vez mais, percebe-se que esse trabalho em equipe é que consegue o tratamento mais completo para o paciente, justo porque cada profissão tem as suas devidas competências.
Torço para que você consiga refletir sobre essas coisas que diz, que não passam de senso comum. E de preconceito, também. E de uma falta de respeito absurda com uma profissão que você parece não conhecer bem e que julga de uma maneira desnecessária. Conheço muitas pessoas que defendem a fisioterapia, pois foi com o auxílio dessa que melhoraram de suas dores na coluna, voltaram a andar, melhoraram de um quadro de problema respiratório. Essas pessoas, muitas muito simples, sem estudo, defendem a fisioterapia de uma maneira serena, bonita, nunca de uma forma agressiva e preconceituosa. Se você parar para pensar, os professores também exercem uma enorme importância na vida das pessoas. Cada profissão tem sua importância na vida das pessoas. O mundo não se resume à medicina. Já pensou em um mundo sem engenheiros eletricistas? A medicina é essencial, tal como muitas outras profissões. Algumas que não exigem formação superior, como os garis. Indispensáveis, sem dúvida.

Anônimo disse...

Entendo que tenha suas razões para defender a medicina, mas não precisa escrever no blog da Mirella. Ela não ofendeu ninguém com o post, apenas reivindicou uma outra atitude por parte de quem faz o diagnóstico clínico.
Isso nunca foi uma discussão. Ao menos para mim. A realidade é que não consegui ver uma atitude como a sua e não me manifestar. Medicina, fisioterapia, enfermagem, direito, administração, ciências biológicas, ... são todas importantes. Cada uma nas suas devidas competências.
E... Se você parar mesmo para pensar, o galho mais alto hoje seria de quem cuida da área da tecnologia. O que seria do mundo se houvesse uma pane nos computadores?? Ou... o galho mais alto é de quem detém o poder, normalmente atrelado ao dinheiro. Ou o galho mais alto é de quem está no governo das nações. Ou se você acreditar em Deus, ele estará acima e além de tudo. Depende do seu ponto de vista, de quão ampla ou restrita é a sua visão de mundo.
Tchau, não. Adeus!

Reles ser inferior

Mirella de Oliveira disse...

Carolina (ou seja lá qual for seu nome),

Não fale do que você não conhece. Você não tem a MENOR ideia do que é a Fisioterapia. Pelo seu discurso, você JAMAIS ouviu falar das áreas em que a fisioterapia atua. Suas argumentações se baseiam em "cultura de comadre" e no que você "ouviu" falar. LEIA! ESTUDE! INFORME-SE!

Médicos são ESSSENCIAIS, e eu jamais disse que não. Eu preciso de médicos. Eu vou mensalmente à dermato, semestralmente ao ginecologista e anualmente levo meus filhos ao pediatra. Fisioterapia é uma OUTRA profissão. Essencial e indispensável. Médicos NÃO PODEM e NÃO SABEM exercer a fisioterapia! Eles não estudaram para isso. Pegue em suas mãos uma grade curricular do curso de Fisioterapia. Pesquise em que áreas ela atua. São PROFISSIONAIS. Mestres, doutores, especialistas no que fazem.

A Fisioterapia é científica. Atua em ortopedia, ginecologia, urologia, neurologia, pediatria, pneumologia e mais uma infinidade de áreas. Você não sabe o que diz. Fico triste com o tamanho da sua ignorância. Vai lá, lê, estuda e depois conversamos de igual para igual. De informada pra informada. Eu ia sugerir que você comprasse um vibrador... Mas, pensando melhor, compra um livro! Vai te fazer bem!

Anônimo disse...

Opá!! Bem como haviam me falado, cheguei no lugar certo! Aí Mirella,quanto você cobra pelo serviço completo? Tô precisado de uma "massagista", mas já vou avisando que comigo não tem essa frescura de "isso eu não faço"! Pago bem , mas quero o serviço "barba,cabelo e bigode"!hehehe
Ah e pode usar os brinquedinhos que você sugeriu para umas das leitoras,viu.
Robertão

Mirella de Oliveira disse...

Carolina (Robertão),

Faltou argumento, né? Entendo. Precisa ler mais mesmo, viu?

E olha só... Ser chamada de puta não me ofende. A única diferença entre nós é que eu não cobro e não faço com qualquer um. Ah, elas não gozam sempre também. Eu sim. Muuuito e com gosto. E ainda tenho tempo pra estudar e ter uma profissão. Talvez seja porque não perco o meu tempo lendo blogs que não aprecio. É, talvez esse não seja o seu caso... acho que você é minha fã! Quanto aos brinquedinhos... são ótimos, recomendo.

Cansei da brincadeira, lindinha. Agora vai ter que dar a cara à tapa pra comentar. Quem tem confiança no que diz não se esconde atrás de "pseudônimos". Chega de anônimos.