segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Olha quem está viva!


Olá...

Um bom dia a todos vocês (sei que não são muitos) que se dão ao trabalho de passar por aqui e perder uns minutinhos do seu dia. Muito obrigada, viu?

Andei um pouco afastada do blog. Acho que a "fase introspectiva" e intempestiva, em que eu sentia urgência em desabafar por aqui, passou. Continuo fã das letrinhas, continuo amando escrever, continuo amando todos os blogs que acompanho. Mas estou tão cheia de projetos pessoais e tem tanta coisa boa acontecendo, que não estou encontrando tempo e inspiração para atualizar o blog. 

Bom, estou de férias e quero fazer dessas três semanas, três meses. O tempo PRECISA ser bem aproveitado. Vou viajar um pouquinho, não como turista, mas pra matar as saudades de quem me faz bem! Vou ler, dormir até mais tarde, curtir muito a minha duplinha linda, organizar a casa e a vida. Deixar tudo prontinho pro que está por vir.

E pra depois das férias, nada de desânimo. Estou muito empolgada para o início do trabalho dobrado, porque vou trabalhar com o que gosto (Santo Pilates! hehe). Além disso, tem um concurso maravilhoso pra fisio e pretendo mergulhar nos livros. E tem a Pós em Ortopedia e Traumatologia em Sampa, que começa em abril! \o/

Mas isso tudo aí é só depois, porque agora... agora eu ESTOU DE FÉÉÉÉÉRIAS!!






quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

A menina



Em um dia desses, a menina caiu. E caiu feio. Como diz um autor que me foge agora... "Tombo feio de ralar o coração". Nesse mesmo dia, a mulher forte, guerreira e decidida recolheu-se. E a menina tomou conta. Frágil, pequena, inocente, imatura. Foi um dos piores dias da vida da menina. Sem exageros. E ela chorou. Chorou tanto, tanto, tanto. Chorou baixinho, molhando o travesseiro, soluçando em silêncio, entrando em desespero e esmigalhando o coração. A menina sentia-se só. Olhava seu telefone... Para quem ligaria? Deslizava o dedo pela tela do aparelho e não encontrava conforto em nenhum nome de contato. Em nenhum. Mentira... Haviam dois... Três? Pensou rapidamente na hipótese de ligar pra eles àquela hora da noite e não lhe pareceu uma ideia agradável. Ficou ali. Soluçando e despedaçando-se. Daria tudo por um abraço sincero. Daria tudo por uma palavra de conforto. Daria tudo para ouvir que era amada. Por quem quer que fosse. Uma amiga, seus pais. Seus filhos. Encontrou esperança no sono daquelas crianças. Lindos, saudáveis, carinhosos. Dormindo ali próximos. Analisou por um momento e sentiu-se muito mais indefesa do que eles naquele momento. Ao contrário daqueles pequenos, não havia nem resquício de luz naquela menina. Ela achou, de verdade, que iria enlouquecer. Adormeceu com o travesseiro úmido e acordou com os olhos inchados. Colocou seu melhor sorriso no rosto e foi à luta. Sorriu, conversou, alegrou-se de verdade. Viu pessoas lindas, que confiavam em seu potencial, que estavam ali porque depositaram em suas mãos a esperança de dias melhores. Melhorou. Um pouco. Ainda era a menina. Ainda não era a mulher. Um pouco mais tarde, tentou conversar com alguém. Um amigo de quem gostava (e ainda gosta) imensamente. Foi tratada como lixo. E, menina que é, não soube o que pensar a respeito. Mas hoje, vejam que alegria... A mulher está de volta! Linda, maravilhosa, decidida e forte. Dorme menina, dorme... Deixa que eu tomo conta do seu sono.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Percebendo...


Quando você vira adulto, percebe que a vida é uma grande guerra. Percebe que amadurecer é doloroso, é árduo e chato. Quando você se torna um ser legalmente responsável por todos os seus atos, vê que a vida não é toda aquela loucura desenfreada (e liberada) e aquele mar de rosas que você sonhou na adolescência. Você percebe (e tem que perceber, é condição indispensável) que para vencer, vai ter que se esforçar. Muito, demais, excessivamente (pra c****). Percebe que vai ter que acordar cedo. Mesmo sem querer, mesmo estando muito frio, mesmo chovendo e mesmo a sua cama estando uma delícia. Percebe que vai ter que sorrir para ser educada. Vai ter que tomar atitudes dolorosas. Vai ter que deixar ir, mesmo querendo abraçar para não mais soltar. Vai ter que tomar decisões. Vai perceber que o "em cima do muro" não faz mais parte da sua vida. Mas percebe que não é só isso. A vida é feita de obrigações, tédio, esforço, luta, lágrimas. E de alegrias, prazeres, recompensas. O equilíbrio é necessário. O radicalismo, por vezes, também. Ser intensa num dia e ser amena  no outro me deixa em paz. Ou rouba a minha paz, quando é disso que necessito. A vida é feita de contradições, paradoxos e certezas incertas. Eu não quero deixar de lutar contra os meus demônios, todos os dias. Mas exijo a recompensa, em todos esses mesmos dias.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Um bom motivo, hein?



Saiu uma matéria muito boa na Revista Pilates sobre como este método pode ajudar a melhorar o desempenho sexual. Eu, como instrutora, recomendo muito! 

Abaixo, alguns trechos do texto da Revista. O conteúdo original você encontra aqui


Atração física, bom relacionamento e intimidade com o parceiro tornam o sexo uma atividade cheia de prazer e sem grandes problemas. Mas nem sempre são garantia de um bom desempenho na cama. Bom preparo e condicionamento físico são capazes de verdadeiros milagres, pois é durante o sexo que gastamos muita energia, na hora “H”, por exemplo, o orgasmo pode ser responsável pelo gasto de 90 calorias!

Conforme a personal trainer, vários músculos são trabalhados durante o ato sexual, principalmente aqueles dos membros inferiores, onde estão envolvidos o quadríceps, posteriores das coxas, adutores (parte interna da coxa), abdutores (região exterior da coxa e dos glúteos), os glúteos e os gastrocnêmios (batata da perna).
Para as mulheres, em especial, a região do assoalho pélvico, que começa no osso acima do clitóris e chega ao final da coluna vertebral, logo acima do ânus, também permanece em constante atividade durante o sexo. Por esta razão é que ela deve ser exercitada, assim a circulação sanguínea aumenta e você consegue permanecer nas posições sexuais por mais tempo, além de atingir orgasmos mais intensos.
Valéria e a fisioterapeuta Daisy Chaves acreditam que o método Pilates é um dos mais indicados para fortalecer a musculatura do assoalho pélvico.
A fisioterapeuta explica que exercícios feitos através de contração e relaxamento da musculatura do períneo e do pubo-coccígeo (fortalecimento da região interna da coxa e glúteos), melhora a mobilidade e flexibilidade dos quadris. “Como um dos enfoques do método é o trabalho de flexibilização, força e melhora da percepção corporal, consegue-se uma boa execução dos movimentos sexuais de uma forma geral”, acrescenta.
Para o fortalecimento do assoalho, Daisy utiliza o “Hip Twist”. “Ele promove a mobilização da articulação coxo femural e da pelve. Deve ser realizado com o praticante sentado, apoiado com os membros superiores para trás e os membros inferiores elevados realizando círculos da direita para a esquerda e vice-versa. Durante os círculos, os membros inferiores sobem e descem juntos. Quando se realiza o círculo subindo, deve-se expirar, e quando desce, deve-se inspirar o ar. Originalmente o exercício é prescrito com 3 movimentos para cada lado”, explica.
Exercícios com bola também são importantes para a região. Conforme a fisioterapeuta, em um deles, o praticante apoia os membros inferiores (um pouco abaixo dos joelhos) na bola e os membros superiores no chão com as mãos afastadas na direção dos ombros. “Ele inspira nesta posição e expira elevando a pelve e ficando na forma de um triângulo. A bola irá se deslocar pelos membros inferiores até os pés”.
O Pilates também fortalece o abdome, região que é bastante exigida na própria relação sexual. “Um dos exercícios que usamos no abdome é o hundred (quando há a elevação da cervical, extensão de quadris e joelhos e os braços se movimentam para cima e para baixo). Já no aparelho reformer pode ser feita a flexão do tronco, com a flexão de ombro e extensão do quadril e joelhos”, explica.
Também durante o Pilates que aprendermos a respirar de forma correta. Com isso, sangue e músculos recebem mais oxigênio e ajudam homens com problemas de ereção. A respiração certa também dá mais capacidade pulmonar, ou seja, mais concentração e disposição durante o ato sexual.
Segundo a fisioterapeuta após 10 aulas, em média, os alunos já conseguem sentir uma melhora durante o sexo e outras atividades. A evolução e resultados dos exercícios depende muito de cada pessoa “do desenvolvimento da consciência corporal e da contrologia dos movimentos”, completa.

Deprimido??


Permita-se ficar deprimido. Mas por não mais do que... um dia?
Não desperdice a sua vida. 
São conselhos, sim.
Pra mim mesma. 



Quanto tudo já foi dito



Sabe, quando tudo já foi dito, é hora de se calar. Que a ausência se faça presente. Que o silêncio ensurdeça e rompa os tímpanos de tanto ecoar. Que o vácuo preencha o momento, a vida, o sentimento. Não, não acho que deva haver repetição. As mesmas falas e o mesmo discurso, desenhado com novas linhas e curvas, mas com o mesmo grafite e a mesma tonalidade. Chato isso. Tedioso e monótono. Tudo já foi dito e esclarecido. Pingos nos "is", t's cortados, cedilhas embaixos dos c's. Pontos, vírgulas, reticências, exclamações e muitas, muitas, muitas interrogações. Lágrimas já borraram a tinta do papel. Nós já ataram e apertaram até sangrar as sinapses nervosas. Coração, esse coitado, já sofreu por várias vidas. Chega de círculo vicioso. O que foi, foi. E o que tiver que ser, depois de tanto esclarecimento, depois de tanta palavra, depois de tanto sentimento... ah, será!