domingo, 8 de janeiro de 2012

Percebendo...


Quando você vira adulto, percebe que a vida é uma grande guerra. Percebe que amadurecer é doloroso, é árduo e chato. Quando você se torna um ser legalmente responsável por todos os seus atos, vê que a vida não é toda aquela loucura desenfreada (e liberada) e aquele mar de rosas que você sonhou na adolescência. Você percebe (e tem que perceber, é condição indispensável) que para vencer, vai ter que se esforçar. Muito, demais, excessivamente (pra c****). Percebe que vai ter que acordar cedo. Mesmo sem querer, mesmo estando muito frio, mesmo chovendo e mesmo a sua cama estando uma delícia. Percebe que vai ter que sorrir para ser educada. Vai ter que tomar atitudes dolorosas. Vai ter que deixar ir, mesmo querendo abraçar para não mais soltar. Vai ter que tomar decisões. Vai perceber que o "em cima do muro" não faz mais parte da sua vida. Mas percebe que não é só isso. A vida é feita de obrigações, tédio, esforço, luta, lágrimas. E de alegrias, prazeres, recompensas. O equilíbrio é necessário. O radicalismo, por vezes, também. Ser intensa num dia e ser amena  no outro me deixa em paz. Ou rouba a minha paz, quando é disso que necessito. A vida é feita de contradições, paradoxos e certezas incertas. Eu não quero deixar de lutar contra os meus demônios, todos os dias. Mas exijo a recompensa, em todos esses mesmos dias.

3 comentários:

Maela disse...

Intensa e boa de viver

Eraldo Paulino disse...

Uhuuuu

Consegui comentar.

Pois eu vivo tendo inveja das crianças. E penso como você, a vida deveria compensar a gente. Acho até que ela tá com crédito, mas mesmo assim é cada barra escrota que a gente atravessa que vou te contar.

Ótimo post.

Bjs!

Pri Dias disse...

Disse tudo !!