segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

E como gosto!







Gosto do contraste. Minha pele macia e tua barba áspera. Gosto de sentir o tesão que transborda dos teus poros através dos pelos em crescimento. Enlouqueço quando deliras ao sentir minha suavidade. Gosto assim. Eu, fêmea, delicada, suave... selvagem. Tu, macho, agressivo, carinhoso... apetitoso. Gosto de tocar. De sentir a textura e o calor. Gosto do toque. Gosto de fechar os olhos e sentir o atrito da tua barba na minha nuca, no meu pescoço e entre as coxas. Piro com a sensação gostosa, ardente e sensual que fica na minha pele após a presença da tua. Não me julgue frágil, eu não quebro. Mas sou mulher e gosto de carinho. Saber dosar delicadeza com impetuosidade é fundamental. E me ganha.