quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Quem é você?





Quem é você? Responda. Não pra mim: sussurre baixinho ao pé de seu próprio ouvido. Você ainda existe dentro de você? Não se perdeu ao longo do caminho? Tem certeza de que você não foi moldado conforme conveniência alheia? Tão adaptado à verdade dos outros a ponto de transformar-se em uma cópia bizarra, disforme e irreconhecível de si mesmo? Não te fizeram engolir sem água e sem piedade o certo e o errado? Cadê você? QUEM é você? Está certo, não há homem inteiro sob a Terra que não tenha tido sua base construída conforme os valores de outra pessoa. Educação é essencial, deixemos claro. É o molde inicial. A base para a construção do verdadeiro 'você'. Mas, atenção! Se não há homem inteiro sem os moldes iniciais... também não há, e nunca haverá homem inteiro sem autocrítica. Não há gente de verdade que não tenha sido aperfeiçoada por si própria. Você é gente de verdade? Porque você não existe se não tiver, com o seu próprio suor, construído quem é. Você não existe se não tiver jogado fora o que não te pertence e guardado com carinho o que te faz funcionar. Seres humanos não são máquinas brutas, automatizadas pelo outro. O outro é base. Você refina. Aperfeiçoa, limpa os cantinhos, aprimora os esboços, arredonda as arestas. Quem você é?? Eu sou muitas, mas todas são eu de verdade. Pecado, pra mim, não são aqueles sete. Pecado é somente, e tão somente, fazer mal ao outro. Vergonhoso é desrespeitar-se (e auto-desrespeito é ignorar desejos, abolir o que faz sorrir e sufocar sentimentos). Feio e sujo é não se sentir bem sendo quem, no fundo, você não é. Essas são as MINHAS verdades. Por favor, descubra as suas.


Um comentário:

Michele disse...

Eu sou uma caixinha de surpresas. :)

Teus textos estão cada vez mais maduros, Mi.
Hora de publicar um livro!

bjs