domingo, 22 de julho de 2012

Meu brinquedo


Zapeio por dentro de mim... gosto assim. Mudo as estações, brinco de Deus comigo mesma. Transmuto, transformo, enceno, aceno, sorrio, choro... sou meu playcenter. E vou, não sei se a sério ou na levada da brincadeira, do fundo ao ápice. Navego nos meus vales, voo por entre minhas montanhas e me escondo em minhas vielas. Arteira. Arteira de mim. Danço e canso. Tudo em um dia, talvez. Eu te dou a mão, se queres também brincar. Te deixo ser feliz em mim, mas conserve o meu brinquedo. É meu e só meu. Respeite e limpe tudo quando sair, porque meu brinquedo eu levo a sério. Faz por mereces e volta a ser criança comigo. 

2 comentários:

Mensagem Efêmera disse...

Às vezes você me lembra Martha Medeiros, Mirella. Lindo!

Michele Pupo disse...

kkkkkkk

Eu rio quando te leio porque às vezes me vejo em você... ahhhhhh estas piscianas bipolares... kkkkkkk

Bjs