sábado, 20 de abril de 2013

Não esperava


Dentre as muitas coisas "não esperadas" daquele dia, ele ali, de braços abertos, foi a mais mágica. Ela nunca imaginou estar em um lugar como aquele, assistindo àqueles shows, usando aquela roupa (abadá?) e dançando aquelas músicas. Mas foi, pondo em prática seus planos de saídas mais frequentes da casinha chamada "zona de conforto". Foi. Dançou, bebeu, saiu de si, bebeu, bebeu, bebeu de novo, riu, chorou, desviou de gente conhecida e conheceu gente desconhecida.. Perdeu-se de uma amiga e telefonou pra ela em meio à multidão, enquanto se esbarrava em periguetes suadas, homens lindos molhados de cerveja e casais se pegando em meio ao som do Latino... Não a encontrou de imediato, mas ali, com o celular no ouvido, concentrada na ligação não completada, ela o viu. O "não esperado" mais delicioso de todos, de braços abertos pra ela, dançando e sorrindo, pedindo licença com os olhos e a acalmando com a boca. Ela excluiu o número do celular dele assim que chegou em casa. O que foi perfeito, não precisa mais ser tocado.  

terça-feira, 9 de abril de 2013

Socorro!!

Quero ler os 1654984 livros que me interessam e estão na fila, quero programar milhares de aulas interessantes e variadas pros meus alunos de Pilates, quero me disciplinar mais no estudo do inglês e criar uma rotina de estudos pro mesmo (afinal, estou pagando e tendo aulas todos os sábados), quero pesquisar uma boa pós e finalmente começá-la, em uma das duas áreas que tanto gosto, quero reservar de uma vez por todas o meu hotel pro Congresso de Pilates que vai acontecer nos próximos meses,  quero estudar alguns casos da ortopedia que têm me intrigado, quero ler mais pros meus filhos e ajudar mais nos deveres de casa, quero sair mais com eles, viajar e fazer passeios divertidos, quero voltar a correr, quero fazer Pilates, quero arrumar meu guarda-roupas que está uma zona, quero comprar uns objetos pra auxiliar na organização da casa e que estão fazendo falta, quero comprar produtos pra minha pele e ir mandar manipular o que a dermato me passou (tô achando que vai expirar a maldita data da guia), quero fazer pelling e limpeza de pele, quero prestar mais atenção no meu corpo cheio de dores (ohhh fisioterapeuta), quero cortar meu cabelo com urgência, quero marcar uma boa gineco, quero escrever mais no blog e comentar em todos os que eu sigo e adoro, quero planejar viagens, quero encontrar meus amigos, quero ir visitar e tomar um café com os avós paternos dos meus filhos, os padrinhos deles e as minhas amigas... quero namorar mais, quero dormir 8 horas, peloamordedeus, quero aprender francês e italiano e, alemão, por que não? E ainda PRECISO ter um tempo pra não fazer nada e apenas respirar, todo o santo dia... Como faz??? É pedir demais?

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Desce desse altar!

-Desce desse altar!

Foi o que eu ouvi esses dias. De uma pessoa importante pra mim.
Quer saber? Não desço, não.
Não desço. Porque foi tão difícil o meu transporte até ele, o altar. 
Meu altar me custou suor, dedicação, capricho minucioso... tudo pra deixá-lo perfumado, arejado, confortavelmente decorado e com a iluminação e o som ambiente perfeitos (nunca gostei dessa palavra, mas serve pr'aqui).
Foi tão difícil conquistar, por mim, esse amor. Não que antes não houvesse amor. Sempre houve. Mas hoje eu me amo com um outro tipo de amor. Um amor como os amores devem ser, sabe? Desprendido e ciente de si. Sereno e altivo. Um amor "não-tenhamos-pressa-mas-não-percamos-tempo", de Saramago. 
Então o altar me pertence; coloco-me lá, SIM. 
Mas não se preocupe. Não desço do altar, mas de maneira nenhuma me santifico. Não quero discípulos nem seguidores. De divindade, quero apenas a imortalidade. Desejo este que quero ir aos poucos deixando pelo caminho (faz-se necessário este desapego). Não vou descer do altar, ele é importante pra mim e eu quero estar lá. Não vou descer. Mas quero vocês comigo nele. Na minha casa, no meu santuário pecaminoso e limpo, no meu universo particular tão cantado por Marisa Monte. É como eu disse lá no texto anterior: entra quem EU quiser, sai QUEM QUISER.
Não me peça pra descer do meu, construa em si mesmo o seu. Não me esqueça de convidar pra entrar- e não me esquecerei de CONQUISTAR um convite. :)