quinta-feira, 30 de maio de 2013

Dona



Já vivi 100 anos em menos de 30. Já sofri demais por (pensar que era) amor. Já agi só pra agradar. Já me moldei ao pensamento torto alheio. Agora eu vou me agradar. E hoje só vem comigo quem entender que sou dona dos meus desejos. Só me dá a mão quem é ciente que sou dona dos meus atos. Só faz parte da minha vida quem entende que sou dona do meu corpo. Corem, descabelem-se, cochichem: sou dona de mim.

Maquiagem borrada, descabelada, com olheiras e enlouquecida. Dona de mim. Feliz.